Julio Lopes participa de reunião na Fiesp

15/05/2015
Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail

O Conselho Superior da Indústria da Construção (Consic) e o Departamento da Indústria da Construção (Deconcic) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) debateram nesta segunda-feira (11/5/2015) projetos de desenvolvimento urbano do Programa Compete Brasil, uma iniciativa da Federação, coordenado pelo diretor de Relações Institucionais da ABCP, Mario William Esper.

A reunião contou com a participação do deputado federal Julio Lopes, presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU) da Câmara dos Deputados, dos dirigentes do Tribunal de Contas da União (TCU), Hamilton Caputo Delfino Silva, secretário de Controle Externo no Estado de São Paulo, José Ulisses Rodrigues Vasconcelos, secretário de Fiscalização de Infraestrutura Urbana, e por diversos representantes do setor da construção, entre eles o presidente da ABCP, Renato Giusti.

Na ocasião, o deputado Julio Lopes disse que levará a proposta do Construbusiness – Programa Compete Brasil para a Câmara dos Deputados, para que seja possível acompanhar todas as construções de São Paulo.

 

Propostas efetivas

Sérgio Henrique Cançado, superintendente executivo da Caixa Econômica Federal, reiterou a participação da estatal como parceria da Fiesp. “Estamos buscando novas alternativas de recursos em parceria com o Observatório da Construção. Uma vez aprovado, e o governo tenha condições de sinalizar o que será feito nas mudanças do setor, a Caixa dará mais previsibilidade nos seus programas, bem como continuará proporcionando condições dignas de moradia para a população”, esclareceu Cançado.

 

Construção com mais qualidade

Para Julio Lopes, é fundamental que os projetos no Brasil tenham mais qualidade, previsibilidade e que sejam adotados cada vez mais produtos e serviços certificados. “Estamos querendo convidar a Caixa Econômica Federal para um convênio que permita o acompanhamento da obra virtualmente. Se não tivermos um projeto executivo para mudar nossa sociedade, não teremos uma solução efetiva”, concluiu.

 

Próximos passos

Para estreitar a parceria, CDU e Fiesp devem firmar um convênio para adequar as novas construções ao BIM.