Como a ABCP conseguiu coibir a má qualidade do cimento de algumas empresas, que não eram suas associadas, mas comercializavam cimentos não conformes? O que aconteceu com essas empresas?

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail

Parece oportuno um pequeno histórico preliminar. De fato,  em 2003 a ABCP decidiu criar um novo programa de monitoramento da qualidade,apesar do Selo de Qualidade, programa continuado da ABCP, com origem em longa data e outorgado aos produtos de suas Associadas que cumprem os requisitos do regulamento.Esse regulamento, elaborado com base em procedimentos estabelecidos por normas internacionais que envolvem inspeção na fabricação do cimento vem resultando num trabalho reconhecido pelos organismos governamentais de controle (Programa Setorial da Qualidade do PBQPH Entretanto, a partir de 2003 a ABCP, através de seu serviço de atendimento ao cliente começou a receber pedidos de informações sobre a qualidade de cimento não detentores do Selo de Qualidade. Como se tratavam de marcas novas, até então desconhecidas, a ABCP buscou conhecer a qualidade dos produtos ofertados no mercado nacional, diretamente nas casas de materiais de construção, abrangendo tanto empresas não associadas quanto associadas, promovendo a realização de ensaios de caracterização e de desempenho desses produtos.

Para manter a necessária isenção nesse processo, tanto a coleta das amostras como os ensaios foram realizados independentemente pelo IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo e tiveram como base o que estabelecem as Normas Técnicas vigentes que especificam a qualidade e os ensaios para sua comprovação.

À ABCP, coube divulgar esse estudo, principalmente junto às entidades de classe, de forma a alertar os consumidores de cimento de riscos que poderiam estar correndo por desconhecer a qualidade de produtos que não atendiam as normas e também a responsabilidade solidária dos lojistas ao comercializar produtos fora de norma.

Como resultado, algumas empresas se adequaram e passaram a oferecer produtos conformes e outras deixaram a atividade. O consumidor ganhou com esse trabalho e as empresas também, e a ABCP espera ter cumprido  seu papel de zelar pela qualidade  de um produto que tem  impacto em toda a cadeia da produção.