Aplicações do cimento

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail

O cimento portland é uma das substâncias mais consumidas pelo homem e isso se deve às  suas características peculiares, como trabalhabilidade e moldabilidade (estado fresco), e alta durabilidade e resistência a cargas e ao fogo (estado duro).

Insubstituível em obras civis, o cimento pode ser empregado tanto em peças de mobiliário urbano como em grandes barragens, estradas, edificações, pontes, tubos de concreto e telhados. Pode ser até matéria-prima para a arte.

  • Argamassas e concretos

    De estruturas a revestimentos de fachadas, os concretos e argamassas constituem os materiais à base de cimento mais versáteis de uma obra.
  • Edificações

    Compostas de vigas, pilares e lajes, as estruturas de concreto moldadas na própria obra constituem o sistema construtivo mais empregado em prédios residenciais e comerciais.
  • Barragens

    O concreto compactado com rolo (CCR) é a solução à base de cimento que melhor se aplica a esse tipo de obra, seja para abastecimento, energia ou outro uso do reservatório.
  • Pavimento de concreto

    O slogan “Feito para durar” exprime a principal característica do chamado pavimento rígido, indicado para rodovias, aeroportos e vias urbanas de alto tráfego.
  • Pavimento intertravado

    Os blocos intertravados se tornaram referência paisagística em muitas cidades brasileiras. O sistema aplica-se também em portos, aeroclubes e áreas de cargas.
  • Alvenaria com blocos de concreto

    Processo construtivo dos mais tradicionais, pode ser empregado para simples vedação ou com função estrutural em casas e edifícios de múltiplos pavimentos.
  • Artefatos

    Telhas, lajes, postes, mourões, dormentes e uma infinidade de itens constituem o que chamamos de artefatos de cimento.
  • Saneamento e drenagem

    Normalizados pela ABNT, os tubos de concreto para águas pluviais, esgoto sanitário e efluentes industriais existem há mais de 100 anos e ainda são a melhor solução nessa área.
  • Pré-fabricados

    Rápidos, duráveis e econômicos, eles tiraram o concreto da obra e o colocaram na fábrica. É lá que o projeto arquitetônico começa a virar realidade.